Será que os cães sabem quando você está triste?

Será que os cães sabem quando você está triste?

Escrito por: Stephanie Pappas, LiveScience

Traduzido por: Carolinne Torres S. Dias

Fotografia por:Igor Normann, Shutterstock

 

A abundância de donos de animais que são consolados por um par de olhos de cachorrinho ou uma lambida quando este o pega chorando, é grande. Agora, uma nova pesquisa sugere que os cães realmente respondem exclusivamente às lágrimas. Mas o estudo não deixa claro que os animais têm empatia com a dor humana especificamente.

 

Em um estudo publicado on-line em 30 de maio de 2014 na revista Animal Cognition, da Universidade de Londres, os pesquisadores descobriram que os cães são mais propensos a se aproximar de uma pessoa chorando do que alguém gemendo ou falando, e que normalmente respondem ao choro com comportamentos submissos. Os resultados são o que você poderia esperar se os cães entendessem a nossa dor, relataram os pesquisadores, mas não há prova de que eles o fazem de fato.

 

“O gemido foi projetado para ser um novo comportamento, o que poderia despertar a curiosidade dos cães”, disse a pesquisadora do estudo e psicóloga Deborah Custance, em um comunicado. “O fato de que os cães diferenciam o choro e o gemido indica que a sua resposta ao choro não foi puramente impulsionada pela curiosidade. No entanto, o maior significado emocional do choro para os cães provocou uma resposta mais forte do que qualquer gemido ou fala.”

 

Os cães domesticados pelos seres humanos há pelo menos 15.000 anos atrás, e muitos proprietários de animais de estimação atualmente, relatam seu canino oferecendo conforto em tempos difíceis. Estudos têm mostrado que os cães são especialistas na comunicação humana, mas os cientistas não têm sido capazes de mostrar de forma conclusiva que eles sentem de fato empatia ou compreendem verdadeiramente a dor alheia. Em um estudo de 2006, pesquisadores fizeram proprietários forjarem falsos ataques cardíacos ou fingirem ficar presos sob móveis, e descobriram com isso, que os cães de estimação não conseguem buscar ajuda.

 

Mas buscar ajuda é uma tarefa complexa, e Custance e sua colega Jennifer Mayer queriam entender o mais simples – se eles entendiam o sofrimento. Elas recrutaram 18 cães de estimação e seus donos para testarem se os cães iriam responder ao choro com comportamentos empáticos. Dentre os cães haviam vira-latas, labradores, Goldens retrievers e algumas outras raças comuns.

 

O experimento foi realizado nas salas de estar das casas dos proprietários. Mayer chegaria e ignoraria o cão para que ele tivesse pouco interesse por ela. Em seguida ela e o proprietário se revezariam falando, chorando ou gemendo.

Dos 18 cães no estudo, 15 se aproximaram de seu proprietário ou de Mayer durante as crises de choro, enquanto apenas seis os abordaram durante o gemido. Isso sugere que é o conteúdo emocional, não a curiosidade, que os traz para perto. Da mesma forma, os cães sempre se aproximaram da pessoa que estava chorando e nunca da pessoa quieta, o que se esperaria dele se estivesse procurando (em vez de tentar fornecer) conforto.

 

“Os cães se aproximaram de quem estava chorando, independentemente de sua identidade. Assim, eles estavam respondendo à emoção da pessoa, e não às suas próprias necessidades, o que é sugestivo de comportamento empático ou de oferta de conforto”, Mayer disse em um comunicado.

 

Dos 15 cães que se aproximaram de seu proprietário ou do estranho chorando, 13 o fizeram com a linguagem do corpo submissa, com a cauda para baixo e a cabeça inclinada, outro comportamento consistente com empatia (os outros dois apresentaram comportamentos alerta ou brincalhão). Ainda assim, os pesquisadores não são encantadores de cães, e eles não podem provar conclusivamente o que os cachorros estavam pensando. É possível que os cães tenham aprendido a se aproximar das pessoas chorando porque seus proprietários lhes dão carinho quando o fazem, escreveram os pesquisadores.

 

“Nós, de maneira nenhuma, alegamos que o presente estudo fornece respostas definitivas para a questão da empatia dos cães”, Mayer e Custance escreveram. No entanto, segundo as pesquisadoras, o experimento abre as portas para mais estudos sobre a emoção dos cães, de diversas raças, e sobre as diferentes respostas emocionais  aos proprietários entre risos e lágrimas.

Compartilhe

Posts recomendados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *