Técnicas Não Farmacológicas para o Tratamento da Dor

tratamento dor pequenos animais

Os médicos veterinários já podem contar com mais um auxílio no tratamento de dor dos animais. O livro da Professora Dra. Denise T. Fantoni, intitulado “TRATAMENTO DA DOR

NA CLÍNICA DE PEQUENOS ANIMAIS” foi lançado no último dia 19 de Outubro de 2011.

O livro conta com uma parte só sobre técnicas não farmacológicas para o tratamento da dor, com diversos capítulos sobre métodos antes vistos como complementares e que agora fazem parte das indicações dos profissionais veterinários por suas reconhecidas ações benéficas.

O capítulo inerente às técnicas de acupuntura veterinária trouxe como uma de suas colaboradoras a Dra. Carolinne Torres, que vos escreve aqui semanalmente. Ele trata do assunto de maneira bastante científica, trazendo a medicina tradicional chinesa (MTC) para as necessidades ocidentais de nosso cotidiano na medicina veterinária. Esclarece aos estudantes e profissionais da área sobre os métodos de funcionamento das técnicas de acupuntura e suas indicações de tratamento.

Hoje em dia faz-se pesquisa na área da MTC por todo o mundo, aliando-se os conhecimentos antigos com os mais recentes meios de pesquisa e diagnóstico. Em meados da década de 1980 os estudos em acupuntura voltaram-se para a analgesia e atualmente esta técnica é considerada efetiva, tendo sido, inclusive, incluída nas listas de tratamentos médicos da Organização Mundial da Saúde (OMC) e reconhecida como especialidade veterinária no Brasil.

A acupuntura é uma terapia reflexa, em que o estímulo de uma região age sobre outras, há a liberação de encefalinas e dinorfinas, que previnem o envio da mensagem de dor ao cérebro, e consequentemente previnem o reconhecimento do estimulo de dor. Há também a liberação de hormônios e alterações nos fluxos sanguíneos regionais, periféricos ou centrais.

Desta forma a Flor de Lótus Acupuntura Veterinária parabeniza a Professora Dra. Denise por sua contribuição a classe veterinária e pela oportunidade de mostrarmos um pouco mais sobre os benefícios desta técnica milenar de uma maneira menos empírica e mais racional.

Um abraço,

Compartilhe

Posts recomendados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *