Raças certas para donos certos: Parte I – caça

basset hound cachorro raça cão de caça

No clima pré-feriado resolvi escrever algo mais leve, mas não menos instrutivo para quem gosta de animais.

Vamos dar uma passada por algumas raças e falar sobre as principais características para que aqueles que quiserem adicionar novos amigos à sua matilha não errem na escolha!

Inicialmente devemos lembrar que animais maiores, invariavelmente necessitam de mais espaço para si. Mas os pequenos e muito ativos não ficam atrás!

Os vira-latas, a não ser que se conheçam os pais, são sempre caixinhas de surpresa. Tanto em relação à conformação física, possíveis doenças, quanto ao comportamento em si.

Os Retrievers, Setters, Poiters e Spaniels (Golden, Labrador, Cocker, etc.) eram cães utilizados inicialmente para buscarem as caças após serem abatidas (originalmente usados na caça de aves). São hábeis na localização, animais de alta atividade de trabalho e de comportamento dócil. Como a caça não é uma atividade muito praticada hoje em dia, esses cães têm se destacado como companheiros, indicados principalmente às pessoas ativas, pois são raças que requerem bastante exercício. Necessitam de tarefas no seu dia-a-dia pra exercerem o seu “trabalho diário” e ficarem bem física e mentalmente. Por isso não são indicados para espaços pequenos e nem para pessoas de vida sedentária.

A busca por caças abatidas pode ser substituída por caminhadas seguidas por lançamentos de brinquedos para que busquem e tragam. São animais de fácil ganho de peso caso não sejam exercitados e de hábitos aquáticos, portanto, “pernas pra que te quero”! Comecem a levar seus amigos peludos ao parque e a ambientes que tenham acesso a água. Vale também a piscina de casa ou uma aulinha de natação semanal!

Já os Hounds (Basset, Afgahn, Beagle, Blood, Daschund, Grey, Wippet, Rhodesian, etc.) são cães de caça que buscam e matam a presa. Há dois subgrupos: o primeiro deles é composto pelos Hounds propriamente ditos. Esses são cães que caçam farejando o solo, geralmente atuam em matilha e, por possuírem excelente olfato, são hoje usados para localizar drogas, pessoas perdidas e até para auxiliar no diagnóstico de doenças. O outro grupo é composto pelos cães que caçam usando a visão, os Galgos. Estes são animais capazes de desenvolver grandes velocidades e seu temperamento é um tanto mais reservado que os demais cães de caça, preferindo agir sozinhos. Atualmente este segundo subgrupo é utilizado também nas corridas de cães.

A condição física/comportamental deles também é dividida pelos subgrupos. No primeiro estão animais mais “atarracados” e de focinhos mais longos. Esta conformação corpórea trás consigo animais de menor velocidade, mas com grande capacidade de percorrer distâncias farejando o solo. Por viverem em matilhas têm grande facilidade de adaptação com outros cães, mas por outro lado grande probabilidade de ganho de peso e sem nenhuma habilidade para subir e descer degraus, o que os torna animais propensos a problemas ósteo-musculares, com grande incidência de alterações de coluna e joelhos ao longo da vida.

Já no segundo subgrupo temos os cães “mais rápidos” que conhecemos. Os Greyhounds e Wippets (Galgos) são animais extremamente dóceis, não tanto interessados em ingressar em uma matilha, mas que necessitam de grandes espaços para exercitarem seus corpos atléticos. A conformação física destes animais é tida como um padrão dentro da ortopedia veterinária, com pouca incidência de alterações ao longo de suas vidas. Porém por necessitarem de espaço estes animais quando confinados tendem a ter problemas psicológicos graves, com alterações de pele sendo o principal sintoma desse desequilíbrio.

Lembrem-se: Animais musculosos e atléticos são animais mais saudáveis e com menor propensão a problemas locomotores! A saúde mental também é um fator importante de prevenção de doenças, portanto, mantenha o seu amigo peludo sempre ativo. Dê sempre informações novas para ele com cheiros, gostos, lugares, pessoas e animais diferentes!

Até a semana que vem!

Fontes: http://www.acb.org.br; www.racasonline.com; http://pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Lista_de_raças_de_cães

 

Compartilhe

Posts recomendados

Comments

  1. Nossa, Carol! Muito bom esse texto, mas fiquei com vontade mais! Tem como fazer um dos gatinhos também? Abração!

    • Carolinne Torres : novembro 15, 2011 at 7:59 pm

      Tem sim, Pedro. Já temos mais três posts nessa linha no forno para as próximas semanas! E lembrarei com certeza dos gatinhos…
      Att,
      Dra. Carolinne

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *