Acupuntura para animais: Como funciona?

carol gaia acupuntura veterinária

A acupuntura apesar de milenar ainda é um tratamento desconhecido por muitos tutores de animais. Para desmistificar um pouco essa rica e vasta área da saúde irei abordar alguns dos seus aspectos.

A acupuntura é um braço da Medicina Tradicional Chinesa e data de mais de 3000 anos. A técnica utiliza a inserção de agulhas em determinados pontos para se produzir alguns efeitos orgânicos que levam à melhora do animal e buscam o seu equilíbrio (homeostasia).

Os animais (nós também) possuem, de maneira geral, caminhos por onde a energia caminha no corpo e a esses caminhos damos o nome de meridianos. Ao escolher não apenas o meridiano, mas também o ponto que deve ser estimulado (ou inibido), o médico acupunturista está traçando a conduta terapêutica que será utilizada em seu paciente para restabelecer sua saúde.

O tratamento, portanto, baseia-se principalmente na estimulação elétrica de determinados sítios na pele do animal. Esse estímulo irá mandar uma resposta para a medula espinhal, para o cérebro e para áreas adjacentes ao ponto agulhado. Daí surge uma cascata de eventos orgânicos com a qual praticamente todo o corpo se envolve e recebe benefícios.

Podemos simplificar dizendo que as doenças surgem por 3 motivos: excesso, falta ou fator externo, e é pensando nisso que o tratamento é delineado.

Existem técnicas mais modernas que auxiliam o médico acupunturista a alcançar de maneira mais rápida seus objetivos, dentre elas podemos citar: o estímulo elétrico, a injeção de substâncias, a utilização de laser, massagens, fitoterápicos (tópicos e/ou orais), entre outros. Mas o mais importante não é a técnica adotada, mas o conhecimento que cada profissional tem e aplica.

No quesito “sucesso do tratamento” a assiduidade do animal durante o período de terapia também não fica atrás. Não adianta esperar que o organismo responda ao tratamento se o estímulo não for dado no período indicado pelo profissional. Iniciar um tratamento de acupuntura esperando que em poucos dias o animal já esteja “pronto pra outra” é muito otimismo. Caso não tenha tempo para conduzir o tratamento até o final, ou seja, até a alta médica, ou não tenha paciência para esperar o resultado, não o comece!

Cada vez que o animal vai à sessão de acupuntura e o estímulo em seus meridianos é feito, há, consequentemente, uma liberação de substâncias (hormônios, neurotransmissores, transmissores neuroendócrinos, células pró e antiinflamatórias, entre outros) e isso causa uma mudança orgânica que só faz sentido se houver uma continuidade.

Não existem de fato contra-indicações para o tratamento com acupuntura, mas só ocorrem respostas satisfatórias quanto o animal e o seu dono colaboram com o tratamento.

No tratamento em si a sessão inicial é a mais longa, já que é nela que se faz o diagnóstico chinês (muito importante para o médico acupunturista). Portanto, uma conversa mais comprida e com perguntas diferentes é esperada. As demais sessões são mais rápidas com o estímulo com agulhas tendo uma duração de 20 a 30 minutos de maneira geral.

A duração do tratamento varia muito de animal para animal e também de acordo com o(s) problema(s) apontado(s). A observação da resposta semana a semana será a melhor dica de quanto tempo temos de trabalho.

A idade e a condição física também contam para a duração do tratamento, sendo a terapia de animais mais idosos e com maiores depauperações geralmente mais longa.

 

Desde já convido a quem interessar: Envie perguntas e dúvidas sobre seus amigos peludos e os tratamentos aqui abordados. Utilize nosso canal de comunicação pelo site (http://flordelotusacupuntura.com.br/contato/) ou acesse nossa Fun Page no Facebook (http://www.facebook.com/FlordeLotusAcupuntura) e entre para nosso grupo de amigos!

Uma ótima semana!

 

Referências:

 

acupuntura veterinária              tratamento dor pequenos animais

 

 

Compartilhe

Posts recomendados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *